<$BlogRSDUrl$>

quarta-feira, setembro 03, 2003

A cirrose é pática? 

Pergunta a Senhora Dona Sara Jéssica a propósito do post "Curtas na Relva":

Adoro foiegras! Era de canard?

No espírito pedagógico que caracteriza este blog, esclareço. Não era de pato, era de ganso, que se escreve "oie" e se diz "uá". Sendo assim, neste caso a cirrose é gânsica. O de ganso é o mais caro porque os gansos são mais difíceis de torturar: têm o hábito inconveniente de morrer a meio do processo de engorda compulsiva. Não quer isso dizer que seja melhor que o de pato, é uma questão de gosto. O de pato tem um gosto mais intenso, o de ganso mais suave. De pato ou de ganso, diz-se que fica bem regado com um Sauternes, mas o Alsácia deu bem conta do recado.
Claro que não percebo nada disto e só estou a papaguear a conversa que me venderam. Até Maio deste ano estava perfeitamente convencido de que foie gras era tartex para larilas. O momento de iluminação deu-se quando entrei numa lojeca na ilha de São Luís que praticamente só vendia foie gras. Virei-me para a senhora que estava a atender e disse: "Bom dia, minha senhora. Não gosto de foie gras". Quando esperava um ríspido "não gosta não come, desampara a loja", obtive antes um luminoso "ah, então é porque não provou do bom..." seguido de uma longa palestra com direito a degustação. A senhora é que cria pessoalmente os bichos na sua quinta do Sudoeste e vem a Paris nos fins de semana para tomar conta da loja. Agora tenho mais uma coisa onde estourar dinheiro, como se já não me bastassem o álcool, a droga, os cavalos, a roleta e as putas.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?